Um verdadeiro mundo de puro RPG

Saudações, bravos aventureiros!

Olá leitores, primeiramente agradeço a todos vocês que acompanham cada edição, e também ao meu blog. Boa leitura a todos, e que sejam bem vindos.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Demônios: O preço do poder






Demônios:

Dæva, Dæmon, Demônio. Vários nomes já descreveram estas criaturas negras, sedentas pelas almas dos mortais. Eles sempre foram temidos. Eram criaturas das trevas, monstros terríveis que traziam dor e desespero, mas então surgiu a Idade da Razão. O homem passou a olhar diretamente para a escuridão e, ao não ver nada, acreditou que monstros não existiam.Demônios não existem. Não há um Inferno. Tudo não passa de crenças religiosas e espirituais, não de uma realidade física, não dentro da ciência conhecida. O demônio nunca existiu. Mas os mortais não sabem como estão errados...

Demônios existem e nos observam, procurando por nossos pecados e nossas almas. Eles são criaturas da retribuição divina, destinados a serem os senhores do mal. Mas as religiões estão erradas. Demônios não lutam contra Deus. Demônios não desejam a destruição do Universo. Eles querem apenas uma coisa: Poder.

Sim, pois apenas através do Poder um demônio pode sobreviver na sociedade infernal. O poder significa muitas coisas: magia infernal, também chamada de Infernalis Factu; influência na sociedade mortal; alta posição na hierarquia infernal.

Esses são os objetivos dos demônios. Mas, para consegui-los, os seres das trevas precisam se alimentar dos pecados dos homens, das almas dos pecadores. O poder de um demônio vem da corrupção.

O Inferno é o reino dos demônios. Mergulhado nos subterrâneos do Mundo Espiritual, esse reino de terror é a parada final das almas dos pecadores. Lá, elas serão torturadas. Lá, os demônios nascem e aprendem a importância do Poder.

INSTINTO INTERIOR: A MALDIÇÃO

Portanto, com a mesma certeza pela qual a pedra cai para a terra, o lobo faminto enterra suas presas na carne de sua vítima, alheio ao fato de que ele próprio é tanto o destruidor como o destruído.
— Schopenhauer

Os demônios possuem um instinto dentro de si que os compele a agir de determinada maneira. É como a personalidade de uma pessoa, mas voltada para atos malignos. Esse Instinto é a Maldição.

A Maldição está presente em todos os demônios, mas varia para cada um deles. Alguns sentem uma compulsão pela luxúria, outros procuram destruição e miséria. Entre as Maldições estão o sadismo e a sanguinolência, a loucura e a busca compulsiva por poder.

Qualquer demônio pode resistir a sua Maldição, mas fazê-lo não é apropriado. O instinto dá poder e segui-lo é subir na hierarquia infernal. Desta forma, os seres das trevas fazem as pazes com suas Maldições, aceitando-as, procurando segui-las sempre que for conveniente.

A IMORTALIDADE
Os bons homens morrem cedo. É por isso que a imortalidade é reservada aos maiores dos males.
— Daniel Baldwin


Um demônio é um ser imortal. Ele não envelhece, não é afetado por venenos, regenera praticamente quaisquer ferimentos e nem mesmo decapitação ou destruição do corpo são capazes de destruí-lo permanentemente.

Se um demônio receber punição severa, ele poderá ser derrotado. Um ferimento letal, porém, só irá deixar o demônio inconsciente. Um demônio que seja destruído (apenas decapitação ou destruição do corpo podem fazer isso) também não estará morto.

Seu corpo terá sido destruído, mas sua alma ainda está presa ao Inferno. Ao ser destruído, a alma do demônio retorna ao Inferno e se abriga nas profundezas da terra profana. Lá, escondido e protegido, o corpo do demônio começa a se reformar, num processo lento e doloroso.

Há apenas uma maneira de destruir um demônio permanentemente: a destruição de sua alma. Um anjo (ou outro demônio) precisa devorar a alma de um demônio destruído antes que ela retorne ao Inferno. Isso deve ser feito segundos após a destruição do corpo do demônio.

Ferimentos místicos também podem destruir permanentemente um demônio, mas não um ferimento místico qualquer. Seu corpo deve ser completamente destruído por magia energética.

Felizmente, poucas criaturas são capazes de um ataque tão formidável e perigoso. Além disso, existem rituais capazes de matar um demônio, mas estes rituais são muito raros e complicados.

Quando um demônio é destruído permanentemente, diz-se que ele foi Obliterado. O que acontece com sua alma é um mistério. Alguns dizem que ela deixa de existir, enquanto outros defendem que sua alma será reencarnada. Há algumas histórias de demônios que sobreviveram à Obliteração, mas ninguém acredita muito nelas.

ANATOMIA DE UM DEMÔNIO

Ele vive sem coração!
Ele não precisa de coração!
— Violador, Spawn #4

Um demônio é um ser composto por trevas. Ele é físico, mas também é um ser espiritual. Seu corpo não é apenas carne e ossos, é também energia infernal. Um demônio é um ser imortal e não está nem vivo, nem morto. Ele possui órgãos internos e estes funcionam perfeitamente, simulando vida, mas há um detalhe: um demônio não necessita deles.

Extração de órgãos não significa nada para demônios. Arrancar ou destruir um órgão de um demônio apenas o deixará furioso. Seu coração ainda bate, seus pulmões ainda respiram e seu sangue ainda flui, mas nada é necessário para que o demônio continue vivo. A única exceção a essa regra são os olhos: um demônio ainda precisa de olhos para ver e se estes
forem danificados, o demônio ficará cego até que regenere o ferimento.

Como dito anteriormente, os órgãos internos de um demônio ainda funcionam. O demônio pode parar esse funcionamento voluntariamente, porém.

Ele não precisa respirar, nem irrigar seus tecidos com o sangue. Ele pode, por exemplo, controlar o processo de digestão ao comer um alimento qualquer. Alguns demônios possuem órgãos e tecidos anormais, como sangue de cores estranhas (sangue verde é muito comum) ou a ausência de um ou mais órgãos internos.

O corpo de um demônio é quase sempre humanóide. Alguns são pessoas belíssimas, enquanto outros são criaturas deformadas, com escamas, olhos brilhantes, garras e presas.

Há também aqueles que parecem completamente humanos, mas com uma ou duas características monstruosas, como olhos vermelhos que brilham ou língua bífida. Não há, porém, qualquer padrão. Cada demônio é uma criatura única em sua forma.

Alguns demônios não têm forma humanóide. Eles podem possuir tentáculos, vários membros, várias bocas, olhos por todo o corpo ou características ainda mais estranhas.

O corpo de um demônio não pode ser afetado por drogas, venenos e doenças, nem sofrem quaisquer danos por calor, fogo e frio. Um demônio é também capaz de regenerar qualquer ferimento em questão de segundos, bastando para isso usar a energia de seu corpo.

Demônios podem ter sexo. Embora incapazes de se reproduzir, eles possuem órgãos sexuais, que funcionam bem. Um demônio pode ser masculino, feminino, hermafrodita (com órgãos de ambos os sexos) ou assexuado (sem órgãos sexuais).

NOMES VERDADEIROS
Ao nascerem no Inferno, os demônios são batizados com um nome em Fabulare, a língua infernal. Não é um ser que batiza o demônio: cada novo infernal nasce sabendo seu Nome Verdadeiro. Enquanto se forma pela primeira vez no Inferno, o novo demônio ouve nas profundezas de sua mente esse nome ser repetido sem parar.

O Nome Verdadeiro dos demônios é esse nome em Fabulare. Ele é um nome sem tradução direta e quase impronunciável para qualquer um a não ser o demônio. Mas o nome é também a maior das fraquezas dos demônios, pois quem conhece o Nome Verdadeiro de um demônio pode controla-lo.

Um místico que conheça um Nome Verdadeiro e os rituais certos é capaz de manipular um demônio com grande facilidade. Há inclusive rituais capazes de Obliterar um demônio.

Por isso, demônios guardam para si mesmos seus nomes verdadeiros e adotam outros nomes. “Fleuretti”, “Mephistus” e outros nomes são só nomes temporários, que mudam de acordo com os tempos, enquanto o Nome Verdadeiro é um segredo
eterno.

FABULARE
Fabulare é a língua falada no Inferno e no Éden. Tanto anjos como demônios conhecem o Fabulare e o falam fluentemente, como se fosse uma língua nativa.

É totalmente instintivo para eles: ninguém sabe como demônios e anjos aprendem tal linguagem, todos nascem sabendo-a. Fabulare é uma língua mística, e dizem que no princípio dos tempos todos os seres falavam Fabulare. Para aqueles que conseguem ouvir Fabulare, ela lembra um pouco o latim, mas poucos conseguem ouvir Fabulare da maneira que é falada.

Fabulare permite a comunicação entre quaisquer seres inteligentes. Aqueles que ouvem Fabulare, entenderão as palavras ditas em sua linguagem nativa.

Um Americano ouvirá um demônio falando como se o demônio falasse inglês, enquanto um brasileiro o ouvirá em português, mesmo que o demônio esteja falando com os dois ao mesmo tempo.

Da mesma forma, aqueles que conhecem Fabulare podem entender todas as línguas faladas. Demônios e anjos entendem tudo o que falam a eles, não importa em que língua a conversa está sendo feita.

A escrita em Fabulare aparece na forma de estranhas runas. Demônios e anjos entendem perfeitamente essas runas, mas praticamente nenhuma outra criatura é capaz de lê-las.

Infelizmente, Fabulare não permite a leitura de mensagens escritas em outras línguas. Para ler algo em outra língua, o demônio ou anjo precisa conhecer tal linguagem.



Nada, seja grande ou pequeno, que é feito em nome do Senhor pode falhar...
— Raymond of Aguilers


Há ainda um poder que pode ser mortal para os demônios. É a Fé Verdadeira, a devoção tão forte a Deus e à religião que a partir dela milagres podem ser feitos. Demônios são especialmente vulneráveis à Fé. Felizmente para eles, raríssimos mortais têm crença tão forte. A Fé é poderosa: ela é capaz de anular os poderes infernais (Infernalis Factu) e pode Obliterar um demônio.

Aqueles com Fé são evitados a todo custo pelos demônios mais fracos. Talvez daí venha a crença de que demônios não podem afetar aqueles que não têm pecados. Os demônios mais poderosos, porém, podem ter utilidades para tais pessoas, especialmente quando querem eliminar um rival.

A Fé também pode ser o maior desafio de um demônio. Destruir a Fé de alguém e corromper esta pessoa é um modo de ganhar rapidamente muito poder e prestígio no Inferno.

PACTOS E A PALAVRA DE UM DEMÔNIO
Eu conheço seu mestre! Ele está brincando com a minha vida!
Ele se diverte arruinando vidas...
E eu não entendo por quê!
Mas, se ele mudou o acordo que fez com você...
O problema é seu!
— Spawn, Spawn #4


Pactos são uma fraqueza e uma vantagem dos demônios. Ao fazer um pacto, um demônio não pode quebrar sua palavra e suas ações passam a ser limitadas de acordo com o pacto. Um demônio só pode quebrar um pacto quando o acordo é traído pela outra parte ou se ambos concordarem em desfaze-lo. Pactos entre demônios, portanto, podem ser eternos.

Pode parecer simples criar pactos, mas não é bem assim. Demônios são limitados pelas regras do pacto, mas podem interpreta-las da maneira que quiserem. Qualquer coisa que não esteja explicitada pelo acordo não afeta um demônio.

Por exemplo, se um demônio é proibido de matar uma pessoa pelo pacto que fez, ele poderá ainda feri-la, tortura-la ou mesmo mandar assassina-la. Mesmo deixa-la para morrer em algum lugar deserto não seria uma quebra das regras, afinal, o pacto apenas diz que o demônio, pessoalmente, não pode mata-la.

No passado, os pactos eram escritos. Mortais que conheciam o perigo costumavam criar contratos longos e detalhados, procurando explicitar cada detalhe, a fim de evitar as interpretações do demônio. Atualmente, porém, a maioria dos pactos são simples, compostos por contratos curtos ou simples apertos de mão. Mesmo um pacto falado deve ser obedecido pelo demônio, mas sua falta de detalhes permite que as regras sejam obedecidas da maneira que o demônio achar conveniente.

ALMAS

Vocês fazem bem para a minha alma! Não se surpreendam...
Eu tenho uma, sim... e mais oito milhões.
— Malebolgia, Spawn #4

Almas o são alimento dos demônios. Elas dão energia para seus corpos e alimentam seu Poder. Um demônio não pode livremente se apossar das almas dos mortais: para que possa consegui-las, é preciso um pacto.

Nem todo pacto que é feito com mortais envolve almas. Caso o pacto não as envolva, então o demônio não tem poder sobre elas. Mas, uma vez que um mortal desiste da própria alma em troca do que o demônio oferece, então o demônio terá a alma.

A alma não fica com o demônio, porém. Ela continuará com o mortal, mas estará vazia: toda a sua energia será absorvida pelo demônio. Um mortal “sem alma” sofre alguns efeitos colaterais, que podem variar do incômodo ao mortal.

Alguns perdem sua energia vital, precisando se alimentar da vida de outros. Outros mortais sem alma apenas ganham características infernais, como olhos vermelhos ou uma presença assustadora. Aqueles que venderam a alma irão invariavelmente para o Inferno ao morrerem. Somente caso o mortal barganhe de volta por sua alma ou caso o pacto seja de alguma forma desfeito a alma retornará ao corpo mortal completamente restaurada.

O destino após a vida daqueles que recuperam suas almas será incerto, como o de todas as outras pessoas. Ele poderá Transcender (momento em que suas almas passam para uma existência superior, acima do Céu e do Inferno, onde finalmente
estarão purificadas e juntas com Deus), ir para o Céu (como um Anjo ou alma pura), cair no Purgatório (como um Fantasma) ou ser mandado ao Inferno (como um demônio ou alma condenada).

PECADO
Ninguém me comanda. Nenhum homem. Nenhum deus.
Nenhum ancião. Nenhum príncipe. O que é a idade para aqueles
que são imortais? O que é o poder para aqueles que desafiam a morte?
Convoque a sua maldita caçada. Veremos quem arrasto gritando
comigo para o inferno.
— Günter Dörn, Das Ungeheur Darin

O pecado é a segunda e mais comum fonte de poder de um demônio. Conforme um demônio coleciona almas, explora o pecado e segue seus instintos, ele ganha Poder e ascende na hierarquia infernal.

PECADORES
Ser “pecador” é um tanto abstrato. A condição para uma pessoa ser condenada “pecadora” varia com o ambiente em que ela vive. Um pecador, no sentido infernal da palavra, é aquele que não respeita a própria humanidade e os próprios códigos de ética. Não é de acordo com a moral local que um pecador é escolhido, mas sim de acordo com a própria moral do pecador, quer ele próprio a respeite ou não. Quantos cristãos não exploram e prejudicam seus irmãos e ainda assim vão à Igreja?

Quantos assassinos não desrespeitam as leis de sua própria religião ou código de ética?
Resumindo: o que define o pecado é o próprio pecador. As únicas exceções à essa regra são o abuso, o assassinato, o estupro e a tortura. Essas são armas infernais e aqueles que as usam estão perigosamente próximos do Inferno. Os que matam ou abusam de inocentes, como crianças, mulheres indefesas e pessoas santas, por exemplo, são o pior tipo de pecador.

Explorar os pecadores é um tanto complicado. Um demônio precisa despertar o lado sombrio das pessoas. No passado, o ato de tentação era mais complicado. Hoje em dia, porém, o mundo se tornou um lugar podre e corrupto, onde criar o pecado se tornou fácil. Quantos empresários não desrespeitam as leis e a vida humana pelo lucro? Quantos não venderiam a alma por dinheiro, vingança e fama? Quantos políticos não são corruptos? O mundo se tornou um paraíso para os demônios.

Uma vez que as pessoas se corrompem, os demônios as manipulam facilmente. Elas se tornam pouco mais do que fantoches nas mãos do Inferno e ferramentas úteis para a proliferação da miséria e de mais pecado...


INFERNALIS FACTU E MAGIA INFERNAL

A terceira fonte de poder dos demônios vem do sobrenatural. Demônios possuem habilidades sobrenaturais chamadasInfernalis Factu, ou Poderes Infernais. Tais habilidades são como talentos naturais para os demônios e, conforme um demônio vive, ele vai desenvolvendo esses talentos.

Infernalis Factu permitem aos demônios as mais variadas capacidades, que vão desde força e resistência sobrenaturais ao controle dos elementos, de manipulação de mentes ao dreno de energia vital, e por aí vai. Existem 13 Infernalis Factu, cada um governando uma certa variedade de habilidades. Os 13 Poderes Infernais são: Fogo Negro, Incorporação, Quimeræ, Teleporte, Transmutação, Violação, Celeridade, Fortificação, Metamorfose, Corrupção, Naturæ, Vitæ e Visão.

Além desses poderes, demônios muitas vezes também possuem diversos conhecimentos em magia. Aqueles que desenvolvem maior conhecimento místico são capazes de realizar Rituais e Encantamentos menores.

MAGIA E MÁGIKA
Existe Magia e Mágika no Mundo das Trevas. Magia engloba todos os poderes sobrenaturais mais limitados, incluindo Infernalis Factu e a Magia Infernal. Mágika, porém, é capacidade de se controlar a própria criação. Enquanto Magia é limitada por certos parâmetros, a Mágika só é limitada pelo conhecimento do ser que a usa.

Mágika, infelizmente, está além do alcance dos demônios. Somente magos mortais e alguns espíritos são capazes de praticar a Mágika. Mesmo assim, muitos demônios possuem grandes conhecimentos Mágikos, que podem ser úteis ao se usar Magia. Para um demônio, conhecer Mágika é como ter o conhecimento, mas não as ferramentas necessárias para o trabalho.

Mesmo assim, conhecimento é poder e pode ser usado com criatividade...

ORIGENS
Do crepúsculo dos tempos nós viemos,
movendo silenciosamente através dos séculos,
carregando muitas vidas secretas.
Ninguém jamais soube que nós existíamos entre vocês
— até agora.
— Ramirez, Highlander

Demônios são seres antigos, tão antigos quanto a própria humanidade. Suas origens se perderam nas névoas do tempo.

Mas o Inferno tem suas próprias lendas. Aqueles que sabem a verdade nada dizem, apenas acrescentam mais mistérios quanto à origem do Inferno e dos demônios.
Mas todas as lendas têm algo em comum. Todas concordam que os demônios surgiram de Ialdabaoth, um espírito antigo e poderoso, um deus negro criado nas trevas, guiado pela punição e pela vingança.

Segundo as lendas, quando Deus criou a luz, esta projetou a primeira sombra. Na escuridão da primeira sombra, surgiu um ser quase tão poderoso quanto Deus. Este ser é Ialdabaoth, o espírito das Trevas, cujos servos são criados a partir dos pecadores. Ialdabaoth passou milênios recrutando espíritos negros como seu exército. Até que surgiu a humanidade.

OS CONDENADOS E A CRIAÇÃO
Aquele que luta com monstros deve acautelar-se;
para não tornar-se também um monstro.
quando se olha muito tempo para um abismo,
o abismo olha para você.
— Nietzsche, “Além do Bem e do Mal”

A criação de cada demônio é um ato profano de tortura, onde uma alma é revirada e destruída, apenas para renascer em seguida, num aborto profano feito no próprio solo infernal. Um demônio não é um anjo caído, muito menos uma criatura
capaz de se reproduzir. Um demônio surge a partir daqueles que ele caça. A alma que forma um demônio é a alma de um pecador.

Os pecadores e aqueles que venderam suas almas vão para o Inferno. Lá, suas almas serão torturadas e perseguidas. Ninguém sabe se esta tortura tem ou não fim. Alguns demônios dizem que ela é eterna. Outros afirmam que uma alma só permanecerá no Inferno até que pague por seus pecados e se arrependa, quando então é liberada para a reencarnação ou a
Transcendência.

Entre os condenados, porém, há aqueles cujas almas são negras. Eles estão tão impregnados por pecados que mesmo a tortura Infernal não é suficiente para purifica-los. Essas almas são torturadas por monstros subterrâneos e sofrem tormentos indescritíveis, que apagam praticamente todas as lembranças de suas antigas vidas.

De dentro do solo infernal, elas gritam e cavam, tomadas pelo desespero. Em suas mentes, seu Nome Verdadeiro ecoa sem parar, e imagens distorcidas e macabras de sua vida surgem e desaparecem sem parar. Seus espíritos absorvem toda a energia profana que o solo infernal lhes oferece. Aos gritos, esses espíritos vão tomando forma e renascendo. Até que elas emergem como demônios. Uma nova criatura das trevas nasce...

A SOCIEDADE INFERNAL
Esta é a Lei da Selva —
tão antiga e verdadeira como o céu;
E o Lobo que a seguir poderá protestar,
mas o Lobo que a quebrar deverá morrer.
— Rudyard Kipling, “A Lei da Selva”

Não é apenas o homem que possui suas leis. O Inferno possui seus códigos e sua sociedade. Todos os demônios estão ligados a esses códigos e devem obedecê-los.

A sociedade infernal é composta de 13 Castas, que formam uma hierarquia de poder. Um demônio de Casta alta não é só poderoso dentro da sociedade infernal, como também possui grande poder pessoal. Um Lorde tem poder imenso, especialmente se possuir uma grande idade para aprender a desenvolver seus poderes sobrenaturais.

A Casta de um demônio não é fixa. Conforme um demônio segue seus instintos, colhe almas e explora os pecados do homem, mais poderoso ele se torna, subindo efetivamente de Casta. O objetivo de todo demônio é alcançar a 11a. Casta,tornando-se um General. Alguns, porém, sonham com a quase lendária Casta dos Lordes
.
A última Casta, porém, é inacessível. Nenhum demônio pode tornar-se Grande Lorde. Essa posição está reservada para demônios superiores, criados por Ialdabaoth milênios atrás. Segundo as lendas infernais, esses demônios foram os primeiros demônios criados e foram formados a partir da matéria espiritual do próprio Ialdabaoth, não de almas mortais.

Verdade ou não, sabe-se que os poderes dos nove Grandes Lordes são superiores aos de qualquer demônio. Essas criaturas são semideuses, capazes de feitos inconcebíveis pelas mentes mortais. Acima de todas as 13 Castas, conta-se há ainda a posição de Grande Satã, ou Imperador, ocupada por Ahriman, o Senhor do Inferno.

Ahriman seria uma encarnação de Ialdabaoth, um Deus em forma material. Pelo menos é o que diz as lendas, porque poucos demônios já viram tal criatura, e Ahriman pode não passar de uma lenda. Uma condição interessante é que cada demônio está incondicionalmente cercado por uma aura mística negra, que se torna mais forte conforme sua Casta aumenta.

Os demônios podem sentir facilmente a aura uns dos outros e, se concentrarem nela, podem descobrir a Casta exata do demônio que a aura está cercando. Isso é importante para que demônios saibam quem são seus superiores e inferiores.

AS CASTAS

As Castas que compõe a sociedade infernal têm suas tarefas. Todos os demônios têm liberdade para fazerem o que quiserem ou o que seus instintos mandarem. Mesmo assim, cada Casta tem uma função ou uma obrigação. Aqueles que passam muito tempo entre os mortais raramente exercem suas funções de Casta. Já os que permanecem mais tempo no Inferno procuram obedecer suas funções para que ganhem poder e subam de Casta.

As Castas são divididas em três categorias: demônios menores, maiores e superiores. Isso não é uma regra da sociedade infernal, mas uma simples convenção, usada por muitos magos, demônios e Infernalistas, para dividir de forma mais simples a sociedade infernal.

As 13 Castas Infernais são as seguintes:

DEMÔNIOS MENORES
Os chamados “demônios menores” são aqueles que ainda não têm grande poder ou influência. As mais baixas Castas são compostas pelos demônios menores e a maioria dos demônios pertencem a estas Castas.

1) VERME: Quando um demônio nasce, ele é um Verme, a Casta mais baixa. Nesse momento, ele é “adotado” por um Lorde, ou um demônio escolhido pelo Lorde, que tem a função de educa-lo nas tradições Infernais e ajuda-lo a desenvolver seus primeiros Poderes Infernais. Um Verme tem pouca liberdade.

Tudo o que um jovem demônio pode fazer é o que seu mestre lhe permite. Conforme o Verme aprende e desenvolve suas habilidades, ele caminha em direção a próxima Casta. No momento em que o Verme é liberado por seu mestre, ele passa para a Casta dos Lacaios.

2) LACAIO: Os Lacaios são demônios menores, mas já estão livres. Lacaios não têm muita chance de subir em poder e Casta por conta própria. Por isso, eles freqüentemente se submetem a um demônio superior, para quem fazem trabalhos como mercenários nas infindáveis intrigas Infernais e guerras entre Feudos.

Os Lacaios são duramente testados por seus mestres, mas com isso adquirem maior poder. Conforme cumprem missões para seus mestres, os Lacaios ganham Status e se aproximam da próxima Casta.

Os Lacaios que não se submetem a um mestre dificilmente conseguirão aumentar em poder. Eles são inexperientes demais para sobreviverem na Terra e muito fracos para conseguirem manipular outros seres.

3) SOLDADO: Os Soldados são as tropas de choque Infernais. Cada um deles está livre para fazer o que quiser, mas quando o Inferno precisa de tropas, eles são os primeiros a serem chamados.

Soldados freqüentemente são mercenários, como os Lacaios, mas não costumam servir a um só mestre infernal. Os Soldados procuram fama entre seus superiores infernais e trabalham para quem os recompense melhor.

Soldados mais experientes passam a procurar serviços na Terra. É a partir desta Casta que um demônio se envolve mais freqüentemente com mortais. Eles costumam ser conhecidos e conjurados por Infernalistas, para quem trabalham em troca de favores e sacrifícios.

4) SERPENTE: Os Serpentes não diferem muito dos Soldados. Serpentes são soldados superiores, apenas isso. Como os soldados, eles costumam ser mercenários. Alguns deles, porém, já estão familiarizados com a sociedade mortal e passam a tentar influencia-la. Esses “pródigos” são muito bem vistos no Inferno, pois é a partir da manipulação que o pecado pode se espalhar.

5) TORTURADOR: Os Torturadores também são soldados, mas durante a batalha eles são comandantes de “Hordas”, grupos de 10 a 15 demônios Soldados ou Serpentes. Torturadores são respeitados por sua experiência mediana, mas ainda assim não possuem poder ou influência suficiente para serem considerados perigosos.

Muitos Torturadores, ao alcançar a Casta, já se especializaram em algum Infernalis Factu e já desenvolveram vários outros poderes. A maioria deles já compreende a sociedade mortal e já sabe bastante sobre os diversos seres sobrenaturais.

Elespossuem muitos conhecimentos e estão entre os melhores mercenários a serem contratados por demônios superiores
.
6) CAVALEIRO: Um Cavaleiro é um guerreiro sagrado. Deles saem os maiores mercenários, devido ao seu grande poder e sua boa experiência. É esperado de um Cavaleiro, porém, eficiência e conhecimento.

Cavaleiros já são experientes o bastante para tentar comprar almas e formar seguidores na Terra. Conforme esses soldados negros adquirem almas, mais prestigiados se tornam.

Um Cavaleiro que se destaque pode vir a se tornar um servo de um Grande Lorde, ou mesmo, alguns dizem, do Imperador.

DEMÔNIOS MAIORES
Acima dos demônios menores, estão as Castas que compõem os “demônios maiores”. Quando alcançam esta posição, espera-se que o demônio abandone completamente seus antigos mestres e passe a trabalhar por conta própria.

Um demônio maior que continue a ser um mercenário nunca é muito bem visto pelos demais demônios maiores. Há uma exceção a essa regra: um demônio que se firme como servo de um Grande Lorde, será sempre bem visto entre os demônios. Esses soldados
pessoais dos Grandes Lordes costumam receber missões perigosas, mas que lhes garantem grandes recompensas e grande reconhecimento.

7) CORRUPTOR: A Casta dos Corruptores é a primeira a ser considerada como Casta de “demônios maiores”. É esperado que um Corruptor se alie a outros demônios maiores ao invés de trabalhar para mestres ou que passe a trabalhar por conta própria em busca de seu poder.

Corruptores são fortemente encorajados pelos Grandes Lordes a se infiltrarem na
sociedade mortal. Muitas vezes, Corruptores são chamados por Grandes Lordes ou Lordes para que sirvam como espiões ou para que cuidem de demônios menores.

8) MALDITO: Esses são os demônios maiores mais comuns. Ao chegar a esta Casta, um demônio certamente já terá uma grande experiência e possuirá um grande poder. A maioria dos Malditos já possui um Atributo sobre-humano ou grandes habilidades em Infernalis Factu. Como função, Malditos são tratados como senhores de Torturadores em batalha.

9) DUQUE: A última das Castas dos demônios maiores é a dos Duques. Um Duque provavelmente já possui grande influência no mundo mortal e possivelmente já formou um culto em seu nome. Duques também costumam ter vários servos e mercenários infernais.

Por serem os mais poderosos dos demônios maiores, Duques freqüentemente possuem uma grande arrogância e excesso de confiança. Às vezes, seu poder é o suficiente para justificar tal atitude.

DEMÔNIOS SUPERIORES
A maior das categorias de Castas é a dos “demônios superiores”. Esses demônios dificilmente servem a alguém, preferindo criar seus próprios planos e conseguir poder sozinhos. Essas criaturas normalmente têm séculos de existência, mas não é impossível para demônios jovens e dinâmicos atingirem tal posição.

10) RIMADOR: Os Rimadores são, via de regra, incrivelmente influentes. Eles já estabeleceram controle sobre
diversas áreas do mundo mortal ou sobrenatural e muitos controlam grande seitas de mortais sedentos por poder. Além disso, Rimadores são muito poderosos, pois tiveram tempo para desenvolver seus poderes infernais e seus conhecimentos.

Rimadores são sábios também, pois já experimentaram derrotas e vitórias em suas longas existências.
Em tempos de guerra, os Rimadores são os encarregados de passar mensagens entre os Generais.

11) GENERAL: Para muitos, a Casta dos Generais é a última a ser alcançada. Um General é o ápice da hierarquia, pois eles controlam exércitos de demônios em tempos de guerra e devem respeito aos Lordes e Grandes Lordes apenas. Generais são, no mínimo, poderosíssimos.

Se um Rimador é considerado um ser perigoso, poucos mortais (e sobrenaturais) sonhariam em desafiar um General. Muitas vezes, Generais recebem posições de importância dentro de um Feudo, ajudando o Lorde governante a
administra-lo ou a defende-lo. Nem sempre esse é o caso, porém, e muitos Generais não servem a ninguém a não ser a si
mesmos.

12) LORDES: Esta é a última Casta a ser conquistada, mas a maioria dos demônios param de subir a hierarquia ao se tornarem Generais. Isso ocorre porque um General tem poderes tão grandes quanto um Lorde. Apesar disso, um Lorde tem suas vantagens.

Em primeiro lugar, um Lorde ganha um pedaço do Inferno, chamado Feudo, para governar. Dentro de seu Feudo, todos devem respeito e submissão ao Lorde e ele é capaz de criar suas próprias leis (que não podem contrariar o Código do Inferno, porém).

Lordes podem também escravizar almas condenadas do Inferno e são os únicos que tem o direito de dar almas escravizadas a outros demônios. Almas escravizadas pelo Lorde podem ser usadas como for mais conveniente: amantes, soldados ou objetos de tortura.

Um Lorde, porém, só é considerado como tal em seu próprio Feudo. Fora de seu Feudo, ele é considerado um “simples” General.

______________________________________________________________________



Perguntas e Respostas

Demônios são seres das Trevas e praticam o mau.
>Verdadeiro, mas não totalmente. Demônios são realmente seres das trevas, escondendo-se nas sombras enquanto agem. Muitas vezes eles praticam o que chamamos de “mau”, mas simplesmente porque isso é necessário para eles. Demônios não servem cegamente ao “mal,” mas sim aos seus próprios propósitos. Nada impede um demônio de fazer o “bem”, a não ser o próprio infernal. Da mesma forma, um demônio não praticará atos “maus” a menos que seja necessário.

Demônios antes eram anjos que perderam a graça de Deus e agora servem a Satã, o primeiro dos Anjos Caídos.
>Falso. Demônios não são Anjos Caídos, nem seu deus negro é um Anjo Caído. Eles foram criados para serem o que são, cultivadores do pecado, a fim de separar os pecadores dos inocentes.

Anjos e Demônios guerreiam entre si pela salvação ou danação das almas.
Verdadeiro. Desde os primórdios, seres angelicais e demônios lutam pelas almas humanas. Estas guerras podem ser violentas batalhas ou sutis disputas, cheias de intriga e manipulação. O objetivo dos anjos é salvar almas, protegendo os inocentes e, se possível, purificando os pecadores. O objetivo dos demônios é possuir as almas dos pecadores e fazer o pecado proliferar no mundo, contaminando os inocentes.

Essa guerra, porém, é só uma batalha pela balança entre bem e mau. Nenhum dos dois lados é capaz de destruir o outro completamente. Sem luz, não há sombras. Sem sombras, não se nota a luz.

Demônios vivem no Inferno, um poço de chamas e enxofre derretido.
>Verdadeiro, mas não totalmente. Demônios vivem no Inferno, um Reino mergulhado no Mundo Espiritual. Esse Reino é um mundo onde espíritos e matéria convivem, onde almas são torturadas e demônios se espalham por todas as partes.
Mas o poço em chamas não é uma descrição apropriada para ele. O Inferno é composto por nove Reinos, cada um configurado de acordo com o Grande Lorde que o governa.

Demônios têm medo de símbolos religiosos, não podem entrar em locais sagrados e nem mesmo ferir um inocente.
>Falso. Os demônios não só se aproveitam dessas crenças, como no passado fingiam que elas os afetavam. Um demônio não pode ser afetado por crucifixos, pode entrar em igrejas e capelas e pode ferir pessoas inocentes. Só uma coisa pode afetar demônios: a Fé Verdadeira.

A Fé Verdadeira é a crença real, uma crença tão grande e poderosa que afeta a realidade. Pessoas com Fé são capazes de realizar milagres. Tais pessoas podem empunhar objetos sagrados de sua religião para ferir demônios ou proteger uma área contra a presença infernal. A Fé Verdadeira, porém, sempre foi uma característica rara, e tornou-se quase inexistente nestes tempos modernos governados pela razão.

Demônios são mentirosos por natureza. Nunca se deve acreditar na palavra de um demônio.
>Falso. Embora possa mentir, um demônio é preso a sua palavra e nunca pode quebra-la. Um demônio é incapaz de trair um pacto que fez, a não ser por dois motivos: se o pacto for quebrado por outra pessoa ou se o pacto for impossível de ser concluído por qualquer uma das partes.

Demônios são imunes ao fogo.
>Verdadeiro. Fogo, a não ser certos tipos de fogo mágico, não afeta demônios.

Demônios são imortais.
>Verdadeiro. Demônios podem viver séculos, mesmo milênios, sem nunca morrer. Mesmo ferimentos gravíssimos, como decapitação e destruição do corpo, não são capazes de destruí-los permanentemente. Demônios “mortos” costumam ressuscitar no Inferno após um certo período de tempo. Eles são ainda capazes de regenerar ferimentos em segundos. Somente métodos místicos poderosos podem destruir um demônio permanentemente.

Demônios possuem uma variedade de poderes místicos. Um ser infernal é capaz de mudar de forma, ficar invisível, manipular mentes e provocar doenças. Eles também têm a força de dez homens.
>Verdadeiro, mas não totalmente. Nem todos os demônios têm grandes poderes. Seu poder aumenta conforme ele ascende na hierarquia infernal. Um demônio menor não é capaz de grandes feitos, mas certos Lordes e Generais infernais possuem todos os poderes listados e muitos mais.

Demônios não têm corpos, são seres espirituais. Como espíritos, eles não têm sexo. Quando se materializam, assumem formas humanas hermafroditas ou sem um sexo aparente.
>Falso! Demônios possuem corpos. Eles são tanto corpo como espírito. Seus corpos não são carne, mas sim energia infernal em forma sólida. O corpo de um demônio pode ser “anatomicamente correto” ou não, seguir leis da biologia ou não ou pode ter forma humana ou monstruosa. Sua forma, porém, é permanente, e só pode ser alterada usando Poderes Infernais.

Demônios têm órgãos internos que funcionam perfeitamente, embora o demônio não precise realmente deles. Se um demônio tiver seu coração arrancado, o coração não fará falta alguma. O mesmo vale para qualquer órgão, incluindo o cérebro, mas com a exceção dos olhos. Os olhos de um demônio ainda são sua fonte de visão e, se foram danificados ou arrancados, a criatura ficará cega. O demônio poderá, porém, regenera-los.

Além disso, um demônio pode ou não ter sexo. Alguns têm corpos masculinos, outros femininos. Raros demônios
podem ser hermafroditas ou assexuados. Isso depende do demônio em questão. Demônios são capazes de engajar em atividades sexuais, sentindo até mesmo prazer nisso.
Mesmo sendo seres físicos, porém, demônios também são seres espirituais. Seu corpo é uma manifestação de sua alma, e corpo e alma são absolutamente inseparáveis, a não ser que o corpo seja destruído.

5 comentários:

  1. Ouh vcs entendem muito disso en
    Parabéns. Mas poderiam me esclarecer uma dúvida?
    Quando um demônio tem seu corpo destruído e se reconstitui no Inferno ele diminui sua Casta?

    ResponderExcluir
  2. Quanta asneira...Vê-se que não conhece nada relacionado ao tema.

    ResponderExcluir
  3. Nada demais gente. Nem genial e nem besteira o que ele disse. Ta tudo no livro "Demonio o Preço do Poder". so copiou e colou aqui rs
    E respondendo a pergunta ali de cima: Não, ele não perde Casta quando tem a morte menor. Na verdadew, quanto maior a casta, maior seu poder e mais rapido ele se forma.

    ResponderExcluir